segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Manifesto: #12, só para o Marcos


Esta ideia já foi discutida no passado na mídia palestrina, mas foi brilhantemente relembrada pelo nosso leitor Luiz Lavos.
Realmente é uma ocasião bem propícia e conveniente - afinal parece que o Marcos vai mesmo se aposentar, e lançaremos uma camisa especial de gratidão à sua época de glórias e conquistas.

São Marcos surgiu no Palmeiras com o número 12, quando veio do banco de reservas, e este sempre o identificou - até mesmo quando foi titular absoluto. Inclusive envergou esse numeral nas costas em várias conquistas.

Gostaríamos de propor ao Palmeiras que, a exemplo do que fazem os clubes americanos, aposentasse a camisa 12 junto com nosso santo goleiro Marcos de forma que nenhum outro jogador do Verdão pudesse usar tal número no futuro.

Nos EUA, eles têm esse hábito como forma de homenagear um atleta de destaque e dizer que ele é insubstituível. Aconteceu com Magic Johnson e o número 32 nos Lakers, com Michael Jordan 23 nos Bulls e até no NY Cosmos com a camisa 10 de Pelé.

O Marcos, além de ídolo dos palmeirenses, é também ídolo nacional e pessoa querida por todos os brasileiros, graças a sua personalidade e magnífica atuação pela Seleção Brasileira. Pelo que lembramos, isso nunca foi feito no Brasil e acho que a aposentadoria do Marcos seria a ocasião mais que perfeita para uma ação como esta.

Esperamos que os departamentos de Marketing e de História do Palmeiras se interessem em levar este assunto para frente. Gostaria de obter também ajuda dos irmãos membros da Mídia Palestrina para a divulgação desta ação.
Pensei em começar hashtags no twitter, como por exemplo #SaoMarcosA12EhSua ou #SaoMarcos12ParaSempre
Sugestões são bem-vindas!
Vamos divulgar pessoal! Quem apóia essa idéia? Comente, dê RT, divulgue!

9 comments:

Rodrigo B Gabriel 1 de agosto de 2011 09:10  

A ideia é boa. Porém, em competições sulamericanas a numeração não é livre. Tem que ser de 1 a 24, obrigatoriamente. A Argentina tentou aposentar a 10 do Maradona, na Copa de 2002. A FIFA não permitiu e eles tiveram que inscrever o 3o goleiro com a #10.

Clayton 1 de agosto de 2011 14:23  

Cara.. eu acho que essa idéia gringa não funciona aqui... lá eles pode colocar diferentes números pois não significa muita coisa.

Além do problema que o Rodrigo colocou acima, o número no futebol marca a posição de um jogador (no passado era mais)... eu não gosto dessa idéia de aposentar o número de uma camisa.

Eu prefiro ver daqui uns anos (ou meses).. um garotinho entrando c/ a 12... saindo do banco... fechando o gol.. e ganhando títulos conosco.. isso sim será honrar a memória de São Marcos! :)

@valvalsep 1 de agosto de 2011 17:25  

Uma ideia muito diferente (que tive enquanto li esse post) é fazer uma petição pra prefeitura, para que o número da Arena seja 12. Se não me engano, o Palestra é S/N. Assim a Arena Palestra seria na Rua Turiassu, número 12 :)

Dragone 1 de agosto de 2011 19:17  

concordo com o q o Clayton disse... ia ser mto bom ver um moleque "fazendo milagres" com a camisa 12 no futuro...

é certo q os numeros marcam a historia d um jogador... como o 12 do Marcos... msm assim deve ser uma camisa q smp deveria estar no gramado!

genial a ideia do @valvalsep... genial!
Rua Turiassu, 12... a casa do Verdãoo!
uma grande homenagem (sem contar naquela historia d colocar um busto do Marcos no Palestra né?)

Luiz Lavos 2 de agosto de 2011 17:00  

Por razões óbvias eu apoio a idéia e acho que, não havendo impedimentos legais como o citado pelo Rodrigo, seria uma demonstração inédita de carinho ao nosso insubstituível goleiro e de pioneirismo em termos de marketing esportivo no Brasil.

Gostando ou não, a numeração das camisas vem se ampliando e cada vez menos determina a posição do jogador. Vide o próprio 12 do Marcos que, teoricamente, seria um número reserva. E até por este motivo, por inicialmente não ser um número tão emblemático como o 1 ou o 10, é que vejo viabilidade na adoção desta idéia. Qual o problema do goleiro reserva usar outro número?

Enfim, num tempo onde o futebol vai muito além do que acontece dentro das 4 linhas, só não gostaria de ver palmeirenses se lamentando depois que outro clube faça o mesmo com seu ídolo e ganhe notoriedade pela iniciativa.

Abraço a todos!

Camila 2 de agosto de 2011 23:21  
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila 2 de agosto de 2011 23:26  

Desculpa, mas também sou TOTALMENTE CONTRA essa idéia. Sempre achei de pessímo gosto essa história de aposentar numeros. Mais vale como os colegas bem disseram ter um garoto envergando a camisa e sentindo o peso da responsabilidade, da HONRA de vestir o mesmo numero de um grande idolo; Estufar o peito e "crescer" pra ocasião. Isso ajuda a definir inclusive as jovens promessas que tem moral e atitude pra chegar lá.

Já pensou se a 10 do Jair Rosa Pinto tivesse sido aposentada... teriamos talves: o Ademir Da Guia "54" ou o Alex "72". Não seria a mesma coisa, perderia um pouco da magia e encanto.

Nossa... pensando bem, se fossemos honrar todos os que realmente merecem na nossa gloriosa historia... hoje em dia a numeração do Palmeiras teria que ser de pelo menos 120 pra cima...

Não meu amigo, NOME ALGÚM ou Numero algum, pode JAMAIS ser mais importante do que o MANTO em Sí. Inclusive por mim voltaria a usar a numeração tradicional de 1 a 11 todo jogo exceto em raras excessões como jogadores que fizeram por onde ter o direito de escolher o numero que querem usar nas costas. Tipo o cara pra ter um numero fixo teria que ter conquistado ao menos um titulo pelo Palmeiras.

Isso que vivemos hoje de "fechar" uma camisa pra um jogador é uma total INVERSão de Valores. Valorizando mais o individuo do que o coletivo. E te digo mais, tenho cursos de Adm. e Marketing e esse argumento de que numeração fixa é bom pro Marketing e vendas de Camisa é pura BALELA. TORCEDOR compra a camisa do time e não do jogador. E mesmo que tenha um jogador preferido não vai ser pelo mesmo não usar numero fixo, que o cara vai deixar de comprar a camisa. E ninguem ou "quase ninguem" vai comprar um mesmo modelo de camisa: uma com o numero do Valdivia, outra com o numero do Kleber, mais uma com o
numero do Pierre outra com a do Luan, do Assunção...
Em Média um torcedor compra não mais que uma camisa de cada modelo, no maximo duas...

São Marcos é Idolo eterno, até por isso considero que é Mais RESPEITOSO deixar seu numero para que ele veja outros o honrarem e homenagearem com grandes apresentações.

Inclusive pelo Caráter Simples e Humilde do Marcão tenho quase certeza que ele preferiria assim... e se encheria de orgulho toda vez que um Muleque com a 12 entrasse em campo e demonstrasse o mesmo amor que ele sempre demonstrou pelo MANTO SAGRADO PALESTRINO.

Maglia Verde 4 de agosto de 2011 00:03  
Este comentário foi removido pelo autor.
blog Maglia Verde 4 de agosto de 2011 00:06  

Oi Camila, legal saber que você fez curso de Adm e Marketing. Mas sinceramente, espero que você não trabalhe na área, pode passar fome. Como assim, jogador não vende camisa e não serve para mkt? Aqui mesmo neste bloguito podemos ver vários posts de camisas que foram um sucesso graças ao ídolo que a estava vestindo. Procure pela camisa do Edmundo, do Marcos 400, mesmo esta dourada que está saindo aí...
E o pessoal não percebe, mas estamos diante de uma feliz coincidência, pois o número 12 não é um número clássico ou nobre, como o 10 que você falou. Usando o seu próprio exemplo, é como se o Ademir da Guia tivesse surgido com o "54" mesmo e tivesse consagrado o 54, entendeu?

Olha só o Rogério Ceni, tiveram que inventar um 01 para ele. No nosso caso, o Marcos já tem a marca registrada, o 12!

Não é à toa que reclamamos de diretores retrógrados no Palmeiras... Estou espantado com a quantidade de torcedores de pensamento antiquado.

E já disse isso aqui, me irritam esses posts GRITANDO que aparecem de vez em quando.

abraço
Erick

Este blog é dedicado à camisa do Palmeiras, ao manto sagrado verde do Palestra Italia. Maglia verde quer dizer manto verde em italiano, capisce?

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO