quinta-feira, 23 de julho de 2009

Camisa Cafu 96

Bom, pessoal, agora temos mais é que nos concentrar e pensar no clássico contra os maloqueiros. E para isso este exemplar da Maria Lígia veio bem a calhar: foi usado em um Derby, Brasileirão de 96, empate de 2 a 2.


É uma beleza de Reebok, em ótimo estado, com o escudo do Paulistão.

Ela conta mais, confira:

Gostaria de enviar a foto de uma camisa que possuo, usada no 2º semestre de 1996.
Usada pelo Cafu, contra o Corinthians.
No fim do jogo, Cafu e Célio Silva fizeram troca de camisa e a do Cafu foi dada ao meu irmão por um conselheiro do Corinthians (conhecido da família).
A maior prova da autenticidade dela é o n.02. Como sabemos, naquela época n. 02 não era vendido em lojas...

Puxa vida hein, a camisa deu uma passeada pelo lado negro da força mas se salvou e voltou para mãos palmeirenses.


E, vejam que coincidência, o Cafu é um atleta que também pulou o muro do CT do bambi para o Verdão, assim como nosso novo comandante!
Tomara que Muricy dê muito certo conosco, assim como o Cafu...

Obrigado pela contribuição e parabéns pela bela peça, Maria Lígia.

7 comments:

ANDERSON 23 de julho de 2009 21:56  

Linda mesmo.

Número Pintado.

black_ash_1980 23 de julho de 2009 22:59  

"Como sabemos, naquela época n. 02 não era vendido em lojas..."

Essa informação tem fundamento? Em 96 havia restrição quanto ao número das camisas à venda em lojas de material esportivo?
Longe de duvidar da história da maglia (acredito que seja verdadeira), mas uma coisa não tem nada a ver com a outra... ou eu estou louco?

LOOK ESPORTES 24 de julho de 2009 09:56  

Realmente, até 2006/2007 as camisas vendidas em lojas vinham com numeros padrões estampados nas camisas, geralmente 7,8,9,10 e as vezes 11, e na camisa da libertadores 99, numero 5 também... então os fornecedores mandavam para os clubes camisas sem numero nenhum, e a rouparia do clube silkava o numero conforme a necessidade...(2,3,4,5... 14,15... 30,31...) a partir de 2006/2007, que foram introduzidos nas lojas o processo de personalização que encontramos hoje, onde você escolhe o numero e nome que quizer.

Parabéns Ligia pela camisa!

Fabrizio 24 de julho de 2009 19:01  

Olha, não quero ser do contra, mas esse jogo de 96 não foi essa camisa. Aliás, foi com essa camisa, mas era uma modelo diferente, por uma simples diferença - O escudo do clube ficava entre as riscas brancas, e não no meio da risca. O mesmo acontecia com o logo da Reebok. Mais no final do campeonato brasileiro de 96 que a camisa ficou neste contorno. O jogo, que terminou empatado que o Cafu jogo foi no Paulista de 97, que tbm foi 2x2 contra o SCCP.

Não quero se do contra. Mas tenho 99,9% certeza disso. Tenho até uma revista do Palmeiras com fotos do jogo na época. Vou procurar e posto aqui.

Fabrizio 24 de julho de 2009 19:04  
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabrizio 24 de julho de 2009 19:07  

Olha uma foto com a diferença que eu falei...

http://3.bp.blogspot.com/_WpEBvgGfiE0/R_1JLtEVO3I/AAAAAAAAAJM/hCAdaTDU-vE/s320/Palmeiras%2B96.JPG

Unknown 29 de novembro de 2017 05:15  

porém devemos salientar que a personalização nas camisas na maioria das vezes fica uma MERDA! primeiro porque as lojas que fazem essa personalização são terceirizadas não são números oficiais e nem materiais oficiais que são aplicados nas camisas portando a durabilidade e baixa e o risco de se estragar uma camisa personalizando e alto conheço pessoas que foram personalizar a camisa por prensagem térmica e a camisa acabou queimando ! O ideal é ou você pega ela de loja do jeito que ela vem ou tenta conseguir uma de Jogo personalizar pode acabar te dando muita dor de cabeça

Este blog é dedicado à camisa do Palmeiras, ao manto sagrado verde do Palestra Italia. Maglia verde quer dizer manto verde em italiano, capisce?

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO